aceitando o sempre.

sinto
sempre
o
cerco
circundando

em
mim
metáfora
tênue
de mim

de mim
respostas
dúbias
ouvirão
todos

que
esticaram
os corpos
de meus
estilhaços

Saturday, February 23, 2008

3 Comments:

YEHUDA said...

roubei um estilhaço seu
o guardei no bolso do colete
por osmose
me fará poeta

Calebe said...

Simplesmente fabuloso esse espaço.

A exemplo da Yehuda, roubei um estilhaço seu/ o guardei no bolso do colete/ por osmose/ me fará...

Abraço,

Calebe

Duran said...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger