DEMENTE.

A minha mente tem uma fauna esquisita.
Orangotangos dançam tango.
A formiga carrega um pterodátilo.
O elefante é um chuveiro.
O porco é um banheiro.
E, além disso, as neuroses habitam sem calma
o galinheiro. A galinha cisca pra frente.
Mas o caranguejo anda pra trás.
Todos os cachorros são azuis.
Mesmo assim me habito sem traumas.
Nas minhas veias corre sangue de enguias.
Cheiro os pássaros que voam.
Vomito águas-vivas que moram na minha flora intestinal.
Tudo é assim tão selvagem lá dentro.
Por isso não consigo ser meu centro.

Thursday, November 22, 2007

3 Comments:

Anônima said...

seria você o menino que abriu a jaula das feras, no dia em que todas as famílias visitavam o zoo?

cassio amaral said...

tudo fagulha faísca de um brilho
stellar ímpar aqui.

penso que você é o melhor poeta da sua geração, tô sendo radical,mas penso que é!

depois do almoço, ontem, estrelas e demente muito bons poemas rodrigo. além disso eu sou azul, sou um cachorro. a galinha cisca pra frente... e tua verve alucina a lowcura da poesia brasileira.
bão demais meu caro.

abração.

Iosif Landau said...

Rodrigo,
o cassio plagiou minha mente, você é mesmo o melhor poeta da sua geração, eu iria até mais longe, vc é o precursor da nova poesia, o comparo ao que os BEAT foram, inovadores e geniais.
Produza meu amigo, produza, produza, nos precisamos desse novo arejar, de novo sopro na mesmice
abraço

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger