UMA VARIAÇÃO DE UMA TELA E UM CONTINHO.


CÓRTEX

Comprei uma arma prateada para me matar. Era a mais bonita e a mais linda pistola e também a mais cara. Gastei todo o meu dinheiro na compra. Mas você não quis atirar em mim e como sou um covarde não puxei o gatilho. Preferi me jogar. Mas não sabia que eu tinha asas e naturalmente elas voavam ou me faziam voar. Tentei tantas vezes me matar que desisti por incompetência.

Certo dia bati numa quina de mesa e tudo foi-se quando não queria mais morrer. Eu não havia sido feliz, mas era um aquário com muitos peixes naquele momento. Foi como se uma baleia caísse dentro do aquário e se debatendo estourou meus tímpanos.

Não entendi.

Não levo nada.

Sunday, December 09, 2007

3 Comments:

hm said...

que lindo Rodrigo!
e a pintura também muito linda!
se completam.
domingo inspirado...

Poesia Sim said...

Mais um belo texto, querido Rodrigo. Sempre venho aqui silenciosamente. Hoje, não resisti. Aproveito a oportunidade para solicitar o seu endereço. Lancei novo livro e gostaria de enviar um exemplar pra vc.
abração!
Lau

YEHUDA said...

adorei a tela e o texto é baleia
abraço

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger