CANÇÃO PARA UM AMOR NAUSEABUNDO.

Inspira um segundo o ar da manhã
Sente o olfato dos carros passando
Daqui de cima não dá pra lhe ver direito
Você é tão minha que é quase a ponte inteira
Um abismo de leões e dragões rugindo
Um caminhão de suicidas pedindo auxílio
Um beijo que o chão me deu aos sete anos
Depois: algum flanelinha flanando o amarelo
Dizendo pr`eu botar meu carro aqui
Bato parado carreiras de insanidade
Me dizem para pular em mim mas é um lugar tão deserto
O escuro da noite sobe pelas escadas
As sirenes do bombeiro
O escudo da tropa de choque
O choque que já levei um dia
Tudo isso lhe circunda e você foge de mim como de uma locomotiva
Eu venho vindo em direção contrária
Ainda encontro tempo para sentir o seu perfume
Dedico um segundo a guardar o seu cheiro
Depois vomito tudo antes que me beije
Tão decentemente que me enjoe

Tuesday, May 13, 2008

2 Comments:

YEHUDA said...

no escuro da noite
tudo é ruim
vomitar é acontece muito

Miguel Barroso said...

E o poeta regurgita, aplana-se, despe o estômago e assa morcelas. Tudo é tónico quando se lida. Tudo o que li foi um tónico, aqui. Obrigado. Abraços d´A SEIVA

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger