AUSÊN&CIA

Eu falto de mim alguns dias
Não vou a encontros marcados
Em certos horários
Estou tão ocupado comigo
Que sinto de mim uma falta
Sou eu mesmo quem me mata

Desato o nó da gravata
E deixo assim habitado
Meu mundo cheio de abismos
Flutuando no limbo saudável
De mais uma nova cura
Pois quando não estou em mim
É que sinto a sua falta
Sei que a miragem flutua
Na minha alma
Quando passa a ser tua

Sunday, March 04, 2007

2 Comments:

Cássio Amaral said...

Cara,
Ando meio vazio...Não sei porque,
sei lá...
Poema bom e como sempre bem construído.
Brou, tem uma música do Pearl Jam que casa muito bem com ele, é:
Sleight of the hand.
Grande abraço.

célia musilli said...

belo poema... um bj

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger