ermo

a lápide de soslaio olha-me
o mundo de soslaio me peida
o que não pode ser mundo, muda

muda a moda que agora sobe
escondendo as barrigas do ontem

hoje sou o que nunca quis ser
e o habitual é habitar o nada quando

ermo penso

Wednesday, February 21, 2007

1 Comment:

verabasile said...

Te encontrei na Oficina do Pensamento, isso faz uma semana, de lá pra cá, já li diversos textos seus...fiquei impressionada com a maneira como escreve, vc consegue transmitir num único texto, vários sentimentos, reações...é realmente um escritor fantástico!!!
um Abraço.

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger