1. Pânico no circo
aladodas têmporas

Endorfinas macaqueando
a goiabada pineal

Volts em volta
Eletrodos todos

De branco culpados
culpas pecados

Haldol no leite
Ralo do tempo

Clitóris de plástico
na sopa de adrenalina

2. Nódoas nuas cristalizadas na nuca
Nunca injete tudo

3. Camisa sem mão sem mangas
Nos olhos apenas antolhos

Na janela áurea de peristilos
punção de morte fode

4. Peixes fisgando anzóis comicham no corpo
Baleias de chupeta

5. Na veia sossegada o leão caminha
inválido de juba cortada, cuspindo
vida curta

Em curto circuito fechado
faixas vendas ferem as paredes

Sem degraus as pilastras
Sem grade degrade

Degradado de sol
de lua

Chuva desbotada
Eletrochoque natural

Enguias guiam os volts
na cabeça dos cegos de si

Thursday, August 03, 2006

3 Comments:

diniz said...

belo poema ! . Estranhamento , imagens inusitadas , já conhecia do livro poesia de invenção do fred e e do claudio daniel .

abraços

diniz gonçalves júnior

diniz said...

Coloquei no meu blog !

Anonymous said...

This is very interesting site... film editing schools

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger