uma mãe como eu fui quer.

no diagrama da manhã
cutuquei minhas folhagens
e erigi meu diadema
entre os olhares das tatoo

quantas tristezas me fiz hoje
se o dedal me fere mais
do que a angústia de agulha
em meu ventre que ubíquo é

o filho que me olha parado
dedilha o meu sentimento
e refuga o meu corpo

diante de mim quero-o filho
amamentando o sutiã do dia
com cada vento que nos poluir

Friday, December 12, 2008

1 Comment:

yehudatenro said...

tenro, amoroso, carinhoso tipo Rodrigo, mãe só há uma

 
Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu
Templates Novo Blogger